quinta-feira, 16 de julho de 2015

Uma aventura na Cachoeira do Juju em Baependi


        Surpreendente! Esta seria a palavra que melhor caracteriza a nossa reação ao deparar-nos com a Cachoeira do Juju, em Baependi- MG. Já estive na cidade outras vezes, mas confesso que desconhecia a zona rural, um verdadeiro paraíso de belezas naturais! Se a queda d’água de mais de 100 metros já causa impacto de longe, imagina de perto! Porém, chegar lá não foi nada fácil... 
        Aproveitamos a segunda-feira de folga [13 de julho de 2015] para conhecermos as cachoeiras da terra de Nhá Chica [estávamos hospedados em Caxambu]. Nosso grupo era formado por cinco pessoas: Pe. Jean [anfitrião e motorista], Luciano [guia e fotógrafo], Max, Saymount e eu [turistas haha]. Saímos do Centro de Baependi às 13h50 e só chegamos ao nosso destino às 15h20. 

        Durante uma hora e meia, percorremos cerca de 35 km em estrada rural. Esse passeio é mesmo pra quem gosta de adrenalina [eu que o diga haha]. O acesso é complicado, cheio de altos e baixos, pedras e muita poeira. No entanto, a vantagem de fazer esse tipo de aventura entre amigos é que conversamos, interagimos e rimos durante toda a viagem. Não faltou animação e nem paisagens deslumbrantes para enriquecer o nosso percurso. Os trechos são bem sinalizados, com placas indicando as cachoeiras e comunidades rurais. 
     Quando menos esperávamos, chegamos ao pé de uma colina e estacionamos o carro. Aproveitamos para fazer um lanche [frutas e água] e encaramos a subida a pé, em fila indiana, por uma trilha contornando o morro. Andamos cerca de 30 minutos até chegarmos ao nosso objetivo. 
       Incrustada nas encostas da Serra da Careta, a Cachoeira do Juju é super imponente [a maior que já vi]. Chegamos ao seu topo onde existem duas piscinas naturais. Os mais corajosos resolveram dar um mergulho [quase morreram congelados]. Porém, a vista proporcionada pelo lugar foi o que mais nos encantou. Ficamos mais de uma hora contemplando a vastidão do horizonte e o contexto que nos envolvia. 

      Definitivamente é um lugar de paz. E como era dia de semana, encontramos apenas um guarda que trabalha no local. Sem nenhum visitante pra disputar espaço, subimos mais um pouco e nos deparamos com o Escorregador do Juju, imaginando como deveria ser bom fazer uma visita nesse lugar no verão. 
      Após dezenas de fotos, quando o sol estava começando a se por, decidimos ir embora, pois logo cairia uma fria noite de inverno...Convictos porém, de que vale a pena voltar e continuar explorando a região que oferece inúmeras outras cachoeiras para apreciarmos e vários esportes radicais.

Confira imagens incríveis da Cachoeira do Juju



         Leia também: Os Mistérios de São Thomé das Letras

                                Cachoeiras e Comunidade Hare Krishna de Baependi





Nenhum comentário: