quarta-feira, 1 de julho de 2015

Primeira vez que vimos o Papa e aparecemos na Globo


         Toda história tem um começo. E tenho certeza que você, ao ler tantas aventuras aqui neste Blog, deve se perguntar, qual foi o pontapé inicial disso tudo? Pois bem, muito tempo antes de sabermos da existência de uma Jornada Mundial da Juventude, o Papa Bento XVI visitou o Brasil, no ano de 2007. Anos depois, descobrimos que durante esta visita que a JMJ Rio 2013 começou a ser cogitada.

         Na época, os grupos de jovens da Diocese da Campanha disputaram ferozmente as vagas nos únicos dois ônibus enviados para o evento em São Paulo. A equipe do Jornal Planeta Legionis era formada por Isabele, Tatiana, Cristiane e eu. Tivemos que passar por um sorteio para garantir as nossas vagas. Foram dias agoniantes e de muita luta, porém, conseguimos. 
       
        Essa foi a nossa primeira grande viagem como grupo de jovens, por isso marcou tanto. Na época, o PopeJovem tinha menos de um ano de vida e já despontava no cenário diocesano. Enfrentamos desafios do começo ao fim. Saímos na manhã do dia 10 de maio, uma quinta-feira, e retornamos no dia 11, sexta-feira, no final da tarde. Foram quase 48 horas sem banho, com a mesma roupa, e passamos muito, mas muito frio. Mantive meus apontamentos originais no texto, na época ainda estava no primeiro ano da faculdade (risos).

         Ao chegarmos em São Paulo, caminhamos para a Estação do Tietê onde pegamos o metrô pela primeira vez na vida. Em fila indiana e de mãos dadas para não nos perder, visto que a estação estava tomada por latino americanos animados e com várias bandeiras. Desembarcamos próximo ao Estádio do Pacaembu. Um verdadeiro esquema de guerra estava montado com policiais, Exército e carros de várias emissoras de TV. Após revista minuciosa, entramos no estádio. Encontramos excelentes lugares e resolvemos dar um rolê para interagir com as delegações. 

     Fizemos uma verdadeira festa com a galera! No entanto, pra deixar mais interessante, faltava apenas darmos uma entrevista pra TV (risos). Só que a concorrência estava acirrada, parece que todos tiveram a mesma ideia. Fizemos malabarismo sacudindo muito a bandeira de Minas Gerais para chamarmos atenção e depois de muito tempo conseguimos. Um cinegrafista da Globo nos filmou e no outro dia saímos no Bom Dia Brasil, na reportagem de Neide Duarte. 

      Eufóricos, entramos na famosa “ola” que aquecia o estádio. Logo que anoiteceu, Bento XVI chegou de papamóvel. Corremos próximos aos portões para poder vê-lo de perto. Quanta emoção ao estarmos tão próximo de um Papa, pela primeira vez na vida. Quantas pessoas morrem sem ter uma oportunidade assim... Quando ele se instalou no palco, voltamos aos nossos lugares. O evento durou cerca de duas horas e foi maravilhoso. Encerrado o ato, caminhamos rumo ao Campo de Marte...

       Canonização de Frei Galvão

        Na porta do Campo de Marte, uma multidão se aglomerava para esperar a Missa de Canonização do primeiro Santo Brasileiro, Santo Antônio de Santana Galvão. Enfrentamos uma fila enorme e entramos. Fizemos as mochilas de travesseiro, pegamos nossas cobertas, deitamos sob papelões em cima do gramado e fechamos os olhos... 

        Mas quem disse que conseguíamos dormir? O frio era cortante. Usamos até as capas de chuva para tentar sobreviver. Foi uma das noites mais difíceis de nossas vidas, só cochilamos. Quando os primeiros raios de sol apareceram, ouvimos Pe. Marcelo Rossi cantando “Noites Traiçoeiras”, música bem oportuna para o momento que vivíamos. 

          De pé, olhamos para trás e nosso queixo caiu ao ver mais de 1 milhão e 200 mil pessoas naquele espaço. Por volta de 9h da manhã o Papa chegou, desfilou de papamóvel e teve início a Missa. Às 10h18, Bento XVI concedeu ao Brasil o primeiro santo 100% nacional. E estávamos lá, nesse dia histórico [era ainda meu aniversário, o que marcou mais ainda a data]. De alma lavada, retornamos à Varginha. 

       Quando chegamos aqui, a repercussão nas ruas era gigantesca. Parece que a cidade inteira assistiu a matéria da Globo. Muita gente, inclusive desconhecidos, vieram conversar conosco. Dias depois, recebemos até uma Moção de Aplauso na Câmara Municipal de Varginha, proposta pelo Vereador Paulo Rodrigues Ti- Polim. 

      “Apresenta-se esta Moção com o objetivo de parabenizar a iniciativa desses jovens em divulgar a religião de forma criativa, dinâmica e atrativa para outros jovens, e principalmente pela participação nas festividades referentes a visita do Papa Bento XVI”. Este foi o primeiro reconhecimento público ao nosso trabalho, impossível nos esquecermos dessa viagem, que foi uma prévia para a grande JMJ Madrid 2011.

Confira um vídeo incrível sobre a JMJ


            Leia também: Obrigado Bento XVI

                                  O dia em que tudo deu errado em Madrid

4 comentários:

Andre luis Silva disse...

Com certeza foi muito especial na vida de muitos jovens,
tive o privilegio de estar lá também e compartilhar desse
momento único que hoje reconheço como fundamental na minha
caminhada como cristão católico.
Parabéns pelo blog Pissolatti! Sucesso em sua caminhada!

Grade abraço.

André Luís (Zulu)

Matheus Pissolatti disse...

Valeu André, eu que agradeço por você ter acessado o Blog, e sim, verdade, essa visita do Papa em São Paulo foi um divisor de águas na vida de todos nós que lá estivemos

Diego Lello Faria disse...

Parabéns pelo Testemunho meu amigo ! Que sirva de exemplo para todos nós jovens, que os objetivos principalmente espirituais podem sim ser alcançados. Mesmo com as dificuldades vocês não desistiram de ver o Papa. Parabéns pelo blog e que ele possa inspirar nossos jovens para caminhada com Cristo !

Matheus Pissolatti disse...

Opa Diego, que bom que você acessou o Blog e gostou dessa matéria cara...Com certeza, nunca podemos deixar de dar o testemunho, muita gente não tem coragem de enfrentar certas situações, mas quem sabe relatando a nossa experiência outras pessoas se animam a fazer coisas diferentes e que agregem valor as suas vidas....abraço